Pesquisar este blog

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Os oficiais respondem a uma ação judicial Policiais de Hawthorne, na Califórnia, agrediram um deficiente auditivo que tentava explicar que era portador da deficiência, por meio da linguagem dos sinais. Jonathan Meister estava levando algumas caixas para seu carro, quando policias que haviam sido alertados sobre um assalto na mesma residência chegaram no local. O caso ocorreu na última semana. Os oficiais mandaram Meister interromper o que estava fazendo, mas, como era surdo, o jovem descumpriu a ordem. Ele tentou usar a linguagem de sinais para se comunicar com a polícia, mas os oficias Jeffrey Salmon, Jeffrey Tysl, Erica Bristow e Mark Hultgren interpretaram os gestos de Meister como agressivos. Os policiais agrediram Meister com chutes e pontapés e disparam choques duas vezes contra o rapaz. Segundo o jornal The Raw Story, os oficiais teriam espancado o rapaz até ele ficar inconsciente. Mesiter foi levado a um hospital pelos policiais, e lá foi acusado de ter agredido os oficiais. Mais tarde, a acusação foi retirada e os policias agora respondem a uma ação judicial. Meister moveu um processo contra a polícia por violar seus direitos como portador de deficiência, conforme prevê o American with Disabilities Act. Na ação judicial consta que o “incidente ocorreu em parte substancial porque o departamento de polícia de Hawthorne não forneceu aos seus funcionários treinamento e recursos para servir pessoas com deficiência auditiva”. O departamento divulgou uma nota sobre o incidente: “Os oficiais de departamento de policia de Hawthorne são treinados para lidar com incidentes, em que a comunicação, por diversas razões, pode ser difícil. Os policiais fazem todos os esforços para se comunicar de forma eficaz e encontrar uma solução pacífica para cada um dos incidentes deste gênero”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário